Grandes Brincadeiras

Primeiros Socorros

Os monitores estarão espalhados – porém – não muitos escondidos pelo espaço e serão os acidentados (4). Cada um representará ter sofrido um acidente. Será estabelecido e afixado no início da brincadeira os corretos atendimentos para os diversos acidentes, como picada de cobra, queimadura, fratura e envenenamento.
As equipes devem prestar o correto atendimento para terem o direito de levar o paciente para o médico chefe, que estará no local de início da brincadeira, sendo este o mesmo que explicou e deu início ao jogo.
As equipes sairão já levando consigo matérias para os primeiros socorros. Prestado o atendimento, a equipe levará o paciente até o médico chefe, que verificará se tudo está certo, para que a equipe saia à procura de outros acidentados.Para realizar os atendimentos, as crianças utilizarão objetos de “natureza morta”, como galhos ou folhas que caíram, etc.
Vencerá a equipe que trouxer maior número de acidentados com correto atendimento.

Material: figurinos e cartazes com corretos atendimentos

Office-Boy

Os monitores estarão espalhados por todo o espaço e representarão diversos locais do cotidiano, como prefeitura, correio, supermercado, banco, clube, casa de uma estrela do rock, fórum, telefônica, etc. Estes estarão representados por uma placa! Os participantes serão os “Offices” e receberão no início uma lista com o nome dos estabelecimentos que eles devem ir, buscar algum documento, pacote e conseguir um “visto” ou carimbo do local. Mas para isso terão que realizar determinada tarefa para os responsáveis de cada estabelecimento.
Haverá também o “ônibus”, que deverá ser utilizado a cada vez que os participantes forem dirigir-se para um estabelecimento. Inclusive no início da brincadeira. Vencerá a equipe que entregar os vistos de cada local, incluindo os 3 vistos do ônibus (se no caso existirem 4 estabelecimentos) primeiro no local de início da brincadeira.

Material: figurinos, cenários (placas, pacotes, documentos, etc), carimbos

Vírus

Os monitores serão os vírus (caracterizados) e estarão espalhados pelo espaço e poderão andar livremente. Cada um portará um tipo de tinta não tóxica diferente, para pintar algum participante que for por acaso pego por ele. O participante que for pintado 3 vezes estará desclassificado (porém nunca uma criança deve ser pintada 3 vezes!)
Haverá também vários papéis espalhados pelo espaço (de preferência próximo aos próprios vírus) com o nome do vírus e a forma de matá-lo, como fazer um círculo ao seu redor, etc. Porém os vírus não terão qualquer tipo de identificação de qual eles são (vírus da gripe, vírus do SACK, vírus do Dodói, vírus da Nhaca).
Assim as equipes tentarão certa forma de matar tal vírus em muitos outros, que talvez não morram com determinada atitude das equipes. Ao matarem um vírus, esse marcará o nome da equipe e irá até o local de início da brincadeira, onde estará o monitor que a explicou e deu início à mesma (podendo inclusive estar caracterizado como cientista ou médico)… Este vírus será eliminado da brincadeira. Vence quem matar mais vírus.

Material: figurino e pistas de como matar os vírus (uma forma para cada).

Rastros e Pistas

Duas equipes, onde uma equipe foge e a outra procura. A equipe que foge terá 10 minutos para deixar os rastros (setas no chão), embora a equipe que procura pode sair após 5 minutos. Podem existir caminhos falsos, que terão que ser identificados no final da seta seguida de um “X”. A distância de uma seta a outra deve ser de 10/15 metros.
Bifurcações serão demonstradas com duas setas juntas, uma apontando para cada direção que se pode seguir e durante o percurso podem existir castigos (cada equipe tem o direito de inventar 5 castigos no máximo).
A última pista deve ser “estamos por aqui” e a equipe deve procurar esconder-se próximo à última pista.
Obs. A equipe que encontrar a outra num tempo menor vence.

Material: relógios com cronômetro e giz (ou outro material que sirva para desenhar as pistas e rastros).